Cabo-verdianos difundem o Racionalismo Cristão em outros países

Cabo-verdianos ao migrarem de seu país, carregam consigo os princípios esclarecedores do Racionalismo Cristão, e tem a satisfação de os difundirem espontaneamente sem qualquer custo para quem quer que seja. Nesta publicação temos um emocionante testemunho de amor.

Minha história de amor pela Doutrina Racionalista Cristã
Por Antão José Lopes da Luz

Casas Racionalistas Cristãs
espalhadas pelo mundo
Vivi em Cabo Verde até maio de 1999.

Como já é do conhecimento de alguns amigos e companheiros, a minha mulher e eu fomos ativos participantes na fundação da Filial Santiago, em maio de 1978 e, anos depois, do Correspondente Achada de Santo António, em devido tempos elevado a Filial.

Já em Portugal, por ter continuado a trabalhar na Baixa da Capital Portuguesa, logo que possível, tornei-me militante da Filial Lisboa. Mas a minha mulher já com alguma dificuldade em se deslocar, percebeu que não poderia, com assiduidade, participar dos trabalhos dessa Casa Racionalista Cristã.

Ela sempre me disse, desde Cabo Verde, que vinha tendo intuições de que deveríamos abrir um núcleo de amigos da Doutrina na localidade que escolhemos para habitar – Miratejo, na margem sul do Tejo.

Confesso que levei algum tempo para aderir à ideia, pois não conhecia ninguém nesta zona e, por isso, o sonho poderia levar algum tempo a tornar-se realidade.

Morreu em São Vicente, o escritor Martinho de Mello Andrade, autor de 11 livros


Aos 83 anos de idade, desencarnou o escritor Martinho de Mello Andrade, na cidade de Mindelo, na Ilha de São Vicente, na madrugada do dia 03 de julho de 2018, nasceu da Ilha de São Nicolau, em 12 de novembro de 1933, filho de André Miguel Andrade e de Isabel Nobre de Mello.

Um homem que se expressava de forma abalizadora, cordial e extremamente fiel ao expor suas opiniões e conceitos sobre a Filosofia Espiritualizadora que abraçou deste jovenzinho.

Reconhece-se que Luiz de Mattos dotado de uma probidade a toda a prova, e de uma inteligência luminífera, através de pesquisas e investigações chegou, ao codificá-la, ao pináculo da perfeição espiritualista, porque soube fazer do estudo desta doutrina um recreio agradável, unindo o útil ao agradável como sói-se dizer, deleitando e ao mesmo tempo instruindo e esclarecendo espiritualmente os seres humanos. (...)” Nosso Livro de Racionalismo Cristão

Foi um dos incansáveis buscadores da verdade sobre a vida do Senhor Augusto Messias de Burgos, que sem as suas memórias, pesquisas, análises e palestras, principalmente o seu incentivo, muito pouco saberíamos sobre a obra de nosso
herói Senhor Augusto Messias de Burgos, que neste ano de 2018, o destacamos como o ano de Augusto Messias de Burgos, que se vivo fosse estaria completando 150 anos de existência.

O espírito do nosso herói Augusto Messias de Burgos, de lá das luminosidades eternas continua a espargir sobre a humanidade os seus fluídos amigos, benéficos e curadores. O espírito não tem pátria, é universal, mas cabe-nos reserva-lo uma página em letras de ouro por tudo quanto fez por Cabo Verde, mitigando a fome aos famintos e esclarecendo-lhes sobre a luz do Racionalismo Cristão, codificado pelo espírito de Luiz de Mattos que como eleito do astral superior veio iluminar o mundo.” Martinho de Mello Andrade

Dentre várias pesquisas, análises e artigos do Senhor Martinho de Mello Andrade sobre o Senhor Burgos destacamos:

=> Maninho de Burgos, Henrique Morazzo e Cônego Teixeira – Foram os precursores do Racionalismo Cristão em Cabo Verde.

=> Augusto Messias de Burgos - Sua vida e sua família, e,
para adquirir este histórico
livro, escreva para
marmellande@hotmail.com
com Sr. Luiz Alves

=> Duas pinceladas sobre a vida de Augusto Messias de Burgos.

O meu avô sempre fez os livros com a intenção de divulgar e expandir a doutrina Racionalista Cristã.” Luís Alves

Também é autor de 11 obras, já publicou algumas obras entre elas, romances, contos e livros sobre o Racionalismo Cristão, podemos citar: Nosso Livro de Racionalismo Cristão, Introdução do Racionalismo Cristão às Crianças, Escolas Racionalistas Cristãs, Drama de uma Família Cabo-verdiana, Queda do Artigo Quarto, Embaixatriz, Ilha de São Nicolau - Memórias, Pão do Espírito, Aurora Espiritual, A Chave do Cadáver e Porque Sou Racionalista Cristão.

Visita do Presidente do Racionalismo em Cabo Verde – Agosto de 2018

A obra de Vieira
continuará
Todos  estão  convidados  a  participarem  de  uma  história  de  amor  dedicada à  humanidade  iniciada  em  1911  na Ilha de São Vicente, em Cabo Verde, uma história de abnegados que continuam trabalhando arduamente para que os princípios filosóficos codificados por Luiz de Mattos, pudessem chegar até os dias atuais, e nesta terceira semana de Agosto de 2018, o Presidente físico Senhor Gilberto Silva, numa extensa agenda de novos eventos, os elos e propósitos idealizados pelo Padre Antônio Vieira se fortificarão, e se elevarão ainda mais, dessa forma estendemos o convite aos amigos e estudiosos da Filosofia Espiritualista do Racionalismo Cristão para acompanharem o cerimonial da visita, nas Ilhas de Barlavento.

Dia 13 de Agosto – Segunda-feira

– 10h40min – Chegada ao Aeroporto internacional Cesária Évora
– 20h – Reunião Pública na Filial Ilha de São Vicente

Dia 14 de Agosto – Terça-feira

RIBEIRA DE CRAQUINHA – Espaço de Protagonismo Juvenil da Ribeira de Craquinha
– 15h30min às 16h45min – Palestra: Tema – “O Conceito Limat na Expansão do Racionalismo Cristão”, por Manuel da Conceição Ramos
 20h – Reunião Pública

Dia 15 de Agosto – Quarta-feira

2018 – ANO DE AUGUSTO MESSIAS DE BURGOS

Propriamente neste 12 de julho de 2018, pela passagem de seu singular sesquicentenário, dedicamos ao espírito do Senhor Augusto Messias de Burgos, o nosso mais singelo respeito e homenagem por seu contributo a humanidade através de nossas irradiações de bem querer!

Grande Foco! Vida do Universo!
Aqui estamos a irradiar pensamentos às Forças Superiores para que a luz se faça em nosso espírito, e tenhamos consciência de nossos erros, a fim de evitá-los e nos fortalecer para praticar o bem.

“AD PERPETUAM REI MEMORIAN”
Visite Memorial Augusto Messias de Burgos
NOSSA HOMENAGEM DE GRATIDÃO
AO CABO-VERDIANO
AUGUSTO MESSIAS DE BURGOS
POR OCASIÃO DE SEUS 150 ANOS
NOSSA LEMBRANÇA
POR SUA PROFÍCUA PASSAGEM
PELAS NOSSAS ILHAS EM 1911
1868 – 2018

O caminhar de Augusto Messias de Burgos

- I -

No éter, Vieira escreveu a ação,
Augusto iniciou sua nova ação,
Cabo Verde a sua nova nação,
Partiu de Mindelo, para sua ação,
Agora em Santos, foi o elo da união,
Vieira, Thomaz e Mattos, elos da missão,
Podia mais, lhe deram muito mais ação,
Missão de um Messias, excelsa missão.


De Vieira recebeu confiança na missão,
De Mattos a corrente fluídica em ação,
De Thomaz apoio à fome dizer não,
Só um ser fiel autêntico e decente,
Poderia levar a cabo tal presente,
Uma missão de autêntica elevação,
Augusto, sua presença fez a diferença,
Ao levar alimentos aos famintos da nação,
Gerou luzes à nova nação.

O caminhar de Augusto Messias de Burgos

- I -

No éter, Vieira escreveu a ação,
Augusto iniciou sua nova ação,
Cabo Verde a sua nova nação,
Partiu de Mindelo, para sua ação,
Depois em Santos, foi o elo da união,
Vieira, Thomaz e Mattos, elos da missão,
Podia mais, lhe deram muito mais ação,
Missão de um Messias, excelsa missão.


De Vieira recebeu confiança na missão,
De Mattos a corrente fluídica em ação,
De Thomaz apoio à fome dizer não,
Só um ser fiel autêntico e decente,
Poderia levar a cabo tal presente,
Uma missão de autêntica elevação,
Augusto, sua presença fez a diferença,
Ao levar alimentos aos famintos da nação,
Gerou luzes à nova nação.

A obra filosófica espiritualista do nosso Padre Antônio Vieira irá continuar mais forte do que nunca!

No século 17, Padre Antônio Vieira, em suas idas e vindas entre Brasil e Portugal, ao passar pelo arquipélago de Cabo Verde, descansava na Cidade Velha, Ilha de Santiago, observador e detalhista dos valores humanos por excelência, percebeu a notória característica dos gentis Cabo-verdianos em migrar pela
- clique na imagem para AMPLIAR -

busca de suas necessidades básicas, e este detalhe da migração, era parte de sua obra.

Seus esforços no plano físico como no plano Astral foi elevado, minucioso e incansável. Cada detalhe foi construído um a um, todos pacientemente e bem definidos, que vistos no decorrer do tempo mais pareciam meros acasos da história, mas hoje, após um século, observados no conjunto de sua obra filosófica, fortalecedora e espiritualista, a ele se juntaram em plano astral, incontáveis espíritos de alta envergadura moral, nada podia sair errado, e, no plano físico para auxiliá-lo contou com Luiz de Mattos, Luiz Alves Thomaz e Augusto Messias de Burgos.

Tudo já estava planeado astralmente para a formação dessa Tríade,” por François Miterrand. Assim se formou a tríade da esperança; Portugal, Brasil e Cabo Verde.

PORTUGAL pátria de corajosos desbravadores!

Terra de três bravos migrantes, que com a mesma energia se encontraram na cidade de Santos, Brasil. Aparentemente em circunstâncias diferentes, mas animicamente e de forma simultânea estavam na mesma plataforma de aspiração.

O sofrimento de Augusto Messias de Burgos

Em 1916, o Senhor Luiz de Mattos foi o primeiro jornalista no Brasil a abrir as páginas no recém-inaugurado Jornal A Razão a todos que precisassem se defender de alguma possível acusação que fosse considerada injusta. Partindo dessa premissa, este texto tem como objetivo esclarecer o “mal-entendido” sobre a viagem a Cabo Verde do Senhor Augusto Messias de Burgos, ocorrida há mais de um século.

“... Em setembro de 1910, Augusto Messias de Burgos inventou uma viagem a São Vicente de Cabo Verde, onde seguramente passou um ano, cujas despesas de viagem e estadia naquela ilha foram custeadas pelo nosso ex-presidente...”.

Essa citação foi registrada em Ata de 20 de dezembro de 1931, reunião que aconteceu doze dias após a desencarnação do Senhor Luiz Alves Thomaz, pelo Senhor Ricardo Luiz Mendes (Presidente da Filial Santos, 1931/1953), que ao citar o Senhor Augusto Messias de Burgos, possivelmente tenha dado como fato verdadeiro, a uma controvérsia que vinha sendo murmurada, desde 1911, portanto repetida durante vinte anos.
Ainda na mesma Ata de Reunião o Senhor Ricardo Luiz Mendes, de forma antagônica, se contradisse sobre a razão da mesma viagem, ao afirmar:

Quando em 1911, os jornais anunciavam uma grande seca que assolava o arquipélago de Cabo Verde, a Diretoria do então Centro Espírita “Amor e Caridade”, nomeou uma comissão para fazer, pelo comércio, uma subscrição em favor das vítimas daquelas ilhas... a comissão somente conseguiu angariar a importância de 13:987$000... e como a necessidade... era de 61:000$000, ... Luiz Alves Thomaz... cobriu a quantia de 47 contos de reis.”

Todavia, passados 85 anos do registro do Senhor Ricardo Luiz Mendes, o Senhor Galdino Rodrigues de Andrade autor do livro Luiz Thomaz – Benfeitor da Humanidade, com o título de “A benemerência de Luiz Thomaz não tinha fronteiras”, sem citar a fonte, repetiu a mesma narrativa, porém dentro do adágio popular “quem conta um conto aumenta um ponto”, retoricamente aumentou o tom do teor:

Centros Redentores que se filiaram ao Racionalismo Cristão em 1912

O objetivo deste título, “Centros Redentores que se filiaram ao Racionalismo Cristão em 1912”, é identificar ao leitor que os primeiros nomes que aparecem na história da espiritualidade em Cabo Verde, Henrique Baptista Morazzo, Catarina Morazzo, Cônego Teixeira e Augusto Messias de Burgos.


Apesar de toda a boa vontade, ainda estavam em processo de aprendizagem e não tinham conhecimentos hábeis para solicitar filiação do primeiro Centro Espírita Caridade e Amor – São Vicente – Cabo Verde, dessa forma presume-se que o Senhor Augusto Messias de Burgos, gozando da confiança de Luiz de Mattos o requereu sendo atendido em seguida conforme publicação em destaque:

► no livro “O Espiritismo Cristão no Brasil – O Centro Espírita Redentor, sua Fundação, Sua Vida e Suas obras, Rio de Janeiro, em 1912 e 1913”, na página 64, Luiz de Mattos escreveu sob o título “Centros Filiados”, nos anos de 1912 e 1913, os Centros Espíritas que pediram instruções e filiação:

Fé, Amor e Caridade – São Sebastião da Grama – SP
São Francisco de Assis – Petrópolis – RJ
Amor e Caridade – Curitiba – PR
Deus, Luz, Amor e Caridade – Três Corações – MG
Vitória, Amor e Caridade – São José de Ubá – RJ
Amor e caridade – Piraí – RJ
Paz, Luz e Amor – Cataguases – MG
Caridade e Fé – São João D’El Rei – MG
Amor e Luz – Nazaré – Ba
Luz e Redenção – Crato – CE
Amor e Caridade – Sta. Clara do Carangola – RJ
Amor e Fé – Carolina – MA
Barão do Rio Branco – Natividade – MG
Luz nas Trevas – Lumiar – RJ
Nova Adoração de Virtudes – São José de Ubá – RJ
Novo Regenerador Caminheiro do Porvir – S. José de Ubá – RJ
Caridade e Amor – São Vicente – Cabo Verde

Valores da remessa de alimentos de 1911, corrigidos para valores aproximados em 2018

De acordo com o Senhor Orlando Medina, em publicação do Jornal A Razão do mês de Agosto de 2017, onde afirma;
Clique para ler Jornal
A Razão Agosto de 2017

Foi Luiz Thomaz que, em 1911, ao inteirar-se da dolorosa situação por que passava o povo de Cabo Verde, provocada pela dura e longa estiagem que assolara as ilhas, determinou, em acordo com o cabo-verdiano Augusto Messias de Burgos, médium seu amigo, enviar um barco carregado de alimentos de primeira necessidade.”

Continua o Senhor Medina, “O custo era vultoso, cerca de 61 contos réis, mas foram angariados apenas 14 contos de réis. Luiz Thomaz ofereceu os 47 contos de réis que faltavam para que a ajuda fosse realizada, como aconteceu, pelo que, tenho certeza, o povo dessas Ilhas estar eternamente gratos.”

Esses mesmos valores, também são citados no Livro (não publicado) A Vida e a Luta de Luiz de Mattos, página 124, 1992, do Senhor Fernando Faria.

Os valores também foram detalhados no Livro Luiz Thomaz – O Benfeitor da Humanidade, página 63, 2016, do Senhor Galdino de Andrade, da seguinte maneira:

Colocando uma pedra no passado

O cabo-verdiano Senhor Augusto Messias de Burgos após entregar o bastão da presidência do seu pequeno Centro Espírita ao Senhor Luiz de Mattos, além de médium, passou a fazer parte da diretoria do mesmo Centro Espírita que viria a ser chamado de C.E. Amor e Caridade de Santos.

Quanto a sua vida particular, segundo a família Burgos, ele nunca perdeu o contato com seu irmão Alfredo Burgos em Cabo Verde que o mantinha a par do cotidiano de sua terra. E, a partir de 26 de janeiro de 1910  data considerada como fundação do Racionalismo Cristão, atualmente o dia da espiritualidade  até 1912, Burgos ainda viveria momentos de entusiasmo e dedicação ao próximo, incluindo o povo cabo-verdiano.

Adversidades são grandes oportunidades – adágio popular árabe

Augusto Messias de Burgos, sabedor da gravidade da estiagem que assolava o arquipélago de Cabo Verde e, consequentemente, a fome que passava seu povo, tratou de iniciar campanha para coleta de fundos afim de socorrer os cabo-verdianos, que foi prontamente atendido pelo benemérito Senhor Luiz Alves Thomaz, então responsável pela parte material do Centro Espírita Amor e Caridade de Santos.

O fato é que entre a ideia - setembro 1910 - coleta de fundos, estocagem dos alimentos, e a saída do navio - 3 de agosto de 1911 - com destino a São Vicente, foram expendidos 11 meses de logística na cidade de Santos. Por outro lado, o Senhor Burgos para cumprir o seu propósito, permaneceu em Cabo Verde provavelmente o mesmo tempo para entrega dos alimentos de ilha em ilha, talvez entregue em mãos de cada faminto, ocasião que aproveitou para difundir os princípios sobre os benefícios da corrente fluídica.

Apesar de ser desconhecida a data de regresso do Senhor Augusto Messias Burgos de Cabo Verde, após o seu retorno, sua frequência nas atividades regulares do Centro Espírita Amor e Caridade de Santos foi interrompida, e até hoje, não ficou claro os motivos desse afastamento.

Segundo Ata de Reunião de 20 de Dezembro de 1931, o Senhor Ricardo Luiz Mendes, Presidente da Casa Racionalista Cristã, entre 1931 - 1953, Filial Santos afirmou:

“... Em setembro de 1910, Augusto Messias de Burgos inventou uma viagem a São Vicente de Cabo Verde, onde seguramente passou um ano, cujas despesas de viagem e estadia naquela ilha foram custeadas pelo nosso ex-presidente...

Ainda na mesma Ata o Senhor Ricardo Luiz Mendes também afirmou:

Quando em 1911, os jornais anunciavam uma grande seca que assolava o arquipélago de Cabo Verde, a Diretoria do então Centro Espírita Amor e Caridade”, nomeou uma comissão para fazer, pelo comércio, uma subscrição em favor das vítimas daquelas ilhas... a comissão somente conseguiu angariar a importância de 13:987$000... e como a necessidade... era de 61:000$000, ... Luiz Alves Thomaz... cobriu a quantia de 47 contos de reis.

Luiz de Mattos é curado de tuberculose por Augusto Messias de Burgos

É voz corrente em Cabo Verde quando o médium Senhor Augusto Messias de Burgos aportou em Cabo Verde em 1911, curou de tuberculose o jovem Henrique Baptista Morazzo, filho do armador italiano Senhor Geobatta Morazzo que cedeu o barco para distribuição dos alimentos entre ilhas.

Vale também lembrar que segundo as netas Amarylís (86), Amyrthis (85) e Annyce (84), do médium Augusto Messias de Burgos, sua casa quase sempre estava cheia de pessoas enfermas que o procuravam para tratamento de seus males. Entre muitos casos, o de um cidadão que sofria de tuberculose aguda e já desenganado, o médico sentindo-se impotente, indicou o enfermo a Maninho de Burgos, que o curou.

Do mesmo modo é descrito no livro não publicado do Senhor Fernando Faria de 1992, A Vida e a Luta de Luiz de Mattos, página 33:

Luiz de Mattos sendo quase tuberculoso, antes de chegar, em 1910, ao Espiritismo Racional e Científico Cristão, dois anos depois, pesava mais de 90 quilos. Levou dois anos de absoluta obediência ao tratamento prescrito pelo médico astral, Dr. Custódio José Duarte, o qual na ocasião disse-lhe:

26 de Janeiro de 1910, o dia em que germinou a verdadeira espiritualidade!

26 de Janeiro, dia da espiritualidade!


De acordo com Ata de Reunião do Centro Espírita Amor e Caridade de Santos, de 26 de Janeiro de 1910,  rubricada pelo Senhor Luiz Alves Thomaz, e com o Senhor Luiz José de Mattos na presidência da mesma, documento que nos revela que foi um dia singelo, mas decisivo na vida de ambos, que amparados pelos eflúvios do Astral Superior, deram o início da verdadeira doutrina de Jesus. Dessa maneira, o Senhor Luiz José de Mattos, se dispôs a iniciar os estudos que levaram a codificar a Doutrina Racionalista Cristã, e o Senhor Luiz Alves Thomaz, ao ceder sua casa, assumiu suas responsabilidades no suporte material da Doutrina, data na atualidade transformada num novo marco da humanidade, no DIA DA ESPIRITUALIDADE.


Data que nos suscita a rever o passado por um novo olhar nessa bela página da espiritualidade, pois quando se tem uma base solida, se prospera e se consolida o futuro. Dessa forma, se percebe que o pequeno Centro Espírita do Senhor Augusto Messias de Burgos, foi onde o Senhor Luiz José de Mattos depois de se ENTUSIASMAR, ensaiou seus primeiros passos doutrinários e amadureceu os passos seguintes.


Segundo o autor Galdino Rodrigues de Andrade, no Livro Luiz de Mattos, sua vida, sua obra, capítulo Naquele Casebre Humilde, afirma: "O júbilo dos instrumentos daquela casinha espírita era grande, pois aquele instante radioso era o florescer de uma doutrina espiritualista autêntica."

conheça este e outros livros

Na sequência o autor Antônio Cottas, ítem 7 do Livro Páginas Antigas de 1954; diz... No fim da "quarta" sessão que Luiz de Mattos, sem interrupção vinha presidindo, atua um espírito num dos médiuns ao lado dele e insulta-o barbaramente. Desconhecendo esse fenômeno e supondo fosse o médium o insultador, prepara-se para o devido revide, quando rapidamente fica atuado o outro médium, e falando-lhe Padre Antônio Vieira:

"... — Acalma-te! Pois então não vês que o médium é um simples porta-voz dos espíritos?
... — Esse espírito que acabou de manifestar-se é Ignácio de Loyola, teu e meu companheiro em diversas encarnações."

Dr. Custódio José Duarte e Augusto Messias de Burgos, estratégicas coincidências que se atraem!

Segundo o pesquisador Dr. João Vasconcelos, em seu Livro a História do Racionalismo Cristão em São Vicente de 2011:

Há quem diga, mas isto não é garantido, que Augusto Messias de Burgos levou para Santos o espírito do seu conterrâneo Custódio Duarte,”...

Para aferição desta citação, destacamos que tanto o Dr. Custódio José Duarte como a do Senhor Augusto Messias de Burgos, são figuras carismáticas, mas não se encontram informações que deem consistência para tal comentário.

Vejamos, o Dr. Custódio José Duarte nasceu em Vila Real de Trás-os-Montes, a 16 de junho de 1841, formou-se em medicina na Escola Médico-Cirúrgica do Porto, defendeu sua tese em 1865, em seguida, foi para Cabo Verde, faleceu em Mindelo, Ilha de S. Vicente no dia 19 de setembro de 1893.

Sinal de que Luiz Alves Thomaz, em 1908, já frequentava o Centro Espírita de Augusto Messias de Burgos

De acordo com o artigo publicado no Jornal A Razão, escrito pelo Senhor João Gomes, na oportunidade, vice-presidente do Racionalismo Cristão, afirma que;
"Luiz Thomaz tinha no seu relacionamento pessoas que frequentavam o espiritismo, embora não gostasse de comentar este assunto. Em 1908, já frequentava e tinha conhecimento dos fenômenos do espiritismo, como deduzimos de uma carta enviada a seu primo Joaquim Alves Pereira, em Portugal."

"Eu, devido aos padecimentos e desgostos por que tenho passado, fui procurar o bálsamo no espiritismo, o que felizmente encontrei. Não só o bálsamo para os meus padecimentos, como coragem para enfrentar os reveses da vida e a resignação para conformar-me com tudo que for designado. Agora sou feliz, porque acho que tudo quanto nos sucede são provações por que temos que passar na Terra."

Verdade ou não, esta data de 1908, contrasta com a de outros autores, por exemplo, da retórica do Senhor Galdino Rodrigues Andrade em seu livro Luiz Thomaz – O benfeitor da humanidade, página 52, que afirma.
Augusto Messias de Burgos
Sua Vida e Família

“... Chegou de forma inesperada: numa tarde de setembro de 1909, em que foi visitar o amigo Manoel João Alves, achando-se de saída, pois ia a uma casa espírita, onde sua mulher já se tratava, (Centro Espírita de Augusto Messias de Burgos), e vinha obtendo melhora não alcançada pela medicina oficial. Ouvindo isso, Luiz Thomaz, que andava as voltas com seu padecimento, se interessou pelo assunto, e perguntou a Manoel se poderia ir também. E este então disse: “Se queres, vamos”.
“... No dia seguinte, Luiz Thomaz voltou lá, oportunidade em que, já com alguma luz espiritual, pediu um conselho astral para a sua saúde no qual foi prontamente atendido por um médium que ...”


Augusto Messias de Burgos construiu o arcabouço espiritual de Luiz de Mattos - Por Prof. João Vasconcelos

Augusto Messias de Burgos,
sua vida e família
Há quem diga, mas isto não é garantido, que além de ter levado para Santos o espírito do seu conterrâneo Custódio Duarte, Maninho de Burgo foi ele próprio o fundador do Centro Amor e Caridade.

Vários espíritas mais velhos com quem conversei em São Vicente disseram-me ainda que era Maninho de Burgo quem presidia o centro de Santos no começo de 1910.

E que foi, portanto este cabo-verdiano quem entregou o bastão ao comendador Luiz de Mattos, o negociante português que tomou a presidência do centro em Janeiro daquele ano (26-01-1910).

Esta história, cuja facticidade não me foi possível apurar, é contada com orgulho pelos espíritas de São Vicente que a conhecem. Se Maninho de Burgo não tivesse intuído o arcabouço espiritual de Luiz de Mattos e legado o comando do Centro Amor e Caridade ao português, nunca este teria chegado a desenvolver a bela doutrina da verdade.

Se não fosse um cabo-verdiano, aquilo que é hoje o Racionalismo Cristão não existiria. 

Certo é que se o Centro Amor e Caridade de Santos decidiu enviar um donativo de alimentos para Cabo Verde em 1911;