Colocando uma pedra no passado

O cabo-verdiano Senhor Augusto Messias de Burgos após entregar o bastão da presidência do seu pequeno Centro Espírita ao Senhor Luiz de Mattos, além de médium, passou a fazer parte da diretoria do mesmo Centro Espírita que viria a ser chamado de C.E. Amor e Caridade de Santos.

Quanto a sua vida particular, segundo a família Burgos, ele nunca perdeu o contato com seu irmão Alfredo Burgos em Cabo Verde que o mantinha a par do cotidiano de sua terra. E, a partir de 26 de janeiro de 1910  data considerada como fundação do Racionalismo Cristão, atualmente o dia da espiritualidade  até 1912, Burgos ainda viveria momentos de entusiasmo e dedicação ao próximo, incluindo o povo cabo-verdiano.

Adversidades são grandes oportunidades – adágio popular árabe

Augusto Messias de Burgos, sabedor da gravidade da estiagem que assolava o arquipélago de Cabo Verde e, consequentemente, a fome que passava seu povo, tratou de iniciar campanha para coleta de fundos afim de socorrer os cabo-verdianos, que foi prontamente atendido pelo benemérito Senhor Luiz Alves Thomaz, então responsável pela parte material do Centro Espírita Amor e Caridade de Santos.

O fato é que entre a ideia - setembro 1910 - coleta de fundos, estocagem dos alimentos, e a saída do navio - 3 de agosto de 1911 - com destino a São Vicente, foram expendidos 11 meses de logística na cidade de Santos. Por outro lado, o Senhor Burgos para cumprir o seu propósito, permaneceu em Cabo Verde provavelmente o mesmo tempo para entrega dos alimentos de ilha em ilha, talvez entregue em mãos de cada faminto, ocasião que aproveitou para difundir os princípios sobre os benefícios da corrente fluídica.

Apesar de ser desconhecida a data de regresso do Senhor Augusto Messias Burgos de Cabo Verde, após o seu retorno, sua frequência nas atividades regulares do Centro Espírita Amor e Caridade de Santos foi interrompida, e até hoje, não ficou claro os motivos desse afastamento.

Segundo Ata de Reunião de 20 de Dezembro de 1931, o Senhor Ricardo Luiz Mendes, Presidente da Casa Racionalista Cristã, entre 1931 - 1953, Filial Santos afirmou:

“... Em setembro de 1910, Augusto Messias de Burgos inventou uma viagem a São Vicente de Cabo Verde, onde seguramente passou um ano, cujas despesas de viagem e estadia naquela ilha foram custeadas pelo nosso ex-presidente...

Ainda na mesma Ata o Senhor Ricardo Luiz Mendes também afirmou:

Quando em 1911, os jornais anunciavam uma grande seca que assolava o arquipélago de Cabo Verde, a Diretoria do então Centro Espírita Amor e Caridade”, nomeou uma comissão para fazer, pelo comércio, uma subscrição em favor das vítimas daquelas ilhas... a comissão somente conseguiu angariar a importância de 13:987$000... e como a necessidade... era de 61:000$000, ... Luiz Alves Thomaz... cobriu a quantia de 47 contos de reis.

Já o autor Galdino Rodrigues de Andrade em seu livro Luiz Thomaz – Benfeitor da Humanidade, 2016, capítulo 7, página 63, com o título de “A benemerência de Luiz Thomaz não tinha fronteiras”, afirmou:

Com a notícia de que o arquipélago de Cabo Verde estava sendo assolado pela impiedosa seca de 1911, desgraça climática com que os jornais ocupavam colunas e mais colunas, de maneira assustadora, e, por iniciativa de Luiz Thomaz, presidente do então Centro Espírita Amor e Caridade constituiu uma comissão com o fim específico de – através do comércio santista – granjear algum recurso para socorrer as vítimas da tremenda estiagem naquelas ilhas...”

Vale lembrar que, em Setembro de 1910, quando Augusto Messias de Burgos idealizou a coleta de alimentos para Cabo Verde, presume-se que a ideia foi levada à diretoria do Centro Amor e Caridade de Santos, e o Senhor Luiz Thomaz imediatamente; nomeou uma comissão para fazer, pelo comércio, uma subscrição em favor das vítimas daquelas ilhas, a qual Augusto Messias de Burgos participou ativamente na campanha de arrecadação de gêneros alimentícios entre a população de Santos, a fim de auxiliar a amenizar a fome que no início do século afligia o povo de Cabo Verde.

Entretanto algumas dúvidas permanecem no ar: numa época em que a velocidade de comunicação era "zero" e levou 11 meses de preparação, onde e como foram armazenados esses alimentos? Qual foi o estrategista desse volume de alimentos? É possível atribuir toda essa responsabilidade ao Senhor Augusto Messias de Burgos?

No livro Luiz Thomaz – Benfeitor da Humanidade, 2016, capítulo 7, página 63, com o título de “A benemerência de Luiz Thomaz não tinha fronteiras”, o autor Galdino Rodrigues de Andrade afirmou:

“... Assim, o vapor destinado a esse transporte (alimentos) levantou ferro, e sulcando o mar bravio levou o alimento àqueles que foram desamparados pela própria natureza...”

Em 03 de agosto de 1911, o então governador de Cabo Verde, Senhor Júdice Bicker ao saber da remessa de alimentos com a partida de um navio de Santos, agradeceu publicamente esse gesto de generosidade humanitária.

- clique em qualquer imagem para AMPLIAR -

A quem sabe esperar, o tempo abre portas” – adágio popular Chinês

Eis que providencialmente, enquanto Messias de Burgos procedia à distribuição de gêneros aos famintos para matar a fome do corpo físico, ia simultaneamente distribuindo pão do espírito que são os esclarecimentos sobre o Racionalismo Cristão, fazendo sessões espíritas e curando pacientes de doença psíquica.” Martinho de Mello Andrade

Enquanto o Senhor Burgos esteve em Cabo Verde, além da entrega de alimentos, iniciou o Centro Caridade e Amor de São Vicente, citado no Livro “O Espiritismo Cristão no Brasil – O Centro Espírita Redentor, sua Fundação, Sua Vida e Suas obras, Rio de Janeiro, em 1912 e 1913”, na página 64, Luiz de Mattos escreveu sob o título “Centros Filiados”, nos anos de 1912 e 1913, os Centros Espíritas que pediram instruções e filiação: entre dezoito filiados, relacionou o Centro Espírita Caridade e Amor de São Vicente.

Em 23 de novembro de 1911, a Câmara Municipal de Mindelo, faz homenagem ao Centro Espírita Amor e Caridade de Santos, com voto de LOUVOR pela generosidade da oferta.

- clique em qualquer imagem para AMPLIAR -

Hoje, passado pouco mais de um século, pode-se dizer que Augusto Messias de Burgos ao levar alimentos ao povo cabo-verdiano, também levou a ideia da "corrente fluídica", que nada mais foi do que um instrumento do Astral Superior, assim pode-se dizer que muitas almas cabo-verdianas, ao emigrarem a outros países, carregam consigo a ideia original de Padre Antônio Vieira: a propagação da Doutrina.

O autor Galdino Rodrigues de Andrade em seu livro Luiz Thomaz – Benfeitor da Humanidade, 2016, capítulo 7, página 73, com o título de “Luiz Thomaz foi iludido em sua boa fé”, afirmou:

Enquanto Luiz Thomaz se esfalfava no trabalho, só pensando na independência financeira da Doutrina, A.M.B. fazia “turismo”, viajando a São Vicente de Cabo Verde, onde permaneceu – seguramente – por um ano, sendo as despesas decorrentes das confortáveis viagens, assim como da estada em luxuosos hotéis naquela ilha custeadas integralmente pelo presidente do Centro Espírita Amor e Caridade, de Santos.”

"Para quem sabe ler, pingo é letra" – adágio popular universal

Augusto Messias de Burgos foi comedido em todas as vertentes sociais, com tônica nas despesas pessoais. Durante a sua estadia em Cabo Verde, ele se hospedava em casa de seus familiares, pois que nessa época não havia Hotéis, mormente Hotéis de Luxo.” Martinho de Mello Andrade

- clique em qualquer imagem para AMPLIAR -
“... Tanto o Hotel Brazileiro como o Hotel Central não possuíam energia elétrica... eram bem modestos... se supõe que tinham qualidade... à das chamadas pensões, hospedarias, pousadas, ou casas de pasto do início do século XX... os mantimentos passaram... com qualidade em ambos os hotéis a partir de 13 de Junho de 1913, quando passou a ter os serviços de gelo...  à obra de construção do primeiro hotel de boa qualidade "Hotel Porto Grande" se deu por volta de 1964, e sua inauguração ocorreu aproximadamente entre 1965 e 1966. ” Joaquim Saial

Nunca se exclui aquilo que não se sabe” – William Waack

Se não fosse um cabo-verdiano, aquilo que é hoje o Racionalismo Cristão não existiria...” Professor João Vasconcelos, Livro A História do Racionalismo Cristão em São Vicente, página 86

Como até hoje se desconhece a data de retorno do Senhor Burgos de Cabo Verde, e os motivos reais do seu afastamento do Centro Espírita Amor e Caridade de Santos, também não há informações de que os valores gastos em Cabo Verde pelo Senhor Burgos, seja o valor doado pelo Senhor Luiz Thomaz, já que o próprio Burgos conseguiu angariar em Santos a importância de 13:987$000, o que nos leva a dizer que, consequentemente, o dinheiro tenha sido gasto com despesas básicas, como por exemplo: em combustível pelo barco na distribuição dos alimentos entre ilhas e etc.

Também não se pode afirmar que o Senhor Burgos, em 1911, tenha ficado em hotéis de luxo, pois além de possuir apoio de parentes na ilha, os dois pequenos hotéis existentes, não possuíam energia elétrica e serviços de gelo, dessa forma se comparavam a algumas pensões, hospedarias que conhecemos hoje, ou casas de pasto (bares que tem serviço de banho) do inicio do século XX.

ponhais uma pedra no passado, tende agora em mira somente o presente” – Luiz Alves Thomaz

Luiz Alves Thomaz quatro dias após sua desencarnação, em 12-12-1931, reconhece alguns equívocos e difíceis momentos durante sua trajetória evolutiva e se desculpa perante o presidente físico do Racionalismo Cristão Senhor Antônio Cottas.

“... a matéria é densa e por vezes os nossos defeitos de educação muito concorrem para que não sejamos aquilo que desejamos ser. Quantas vezes fui injusto!... Quantas vezes!... desejando que ponhais uma pedra no passado, tende agora em mirar somente o presente, portanto, lutai com denodo, procurai dar à Doutrina o impulso de que ela carece.”...

E nós, estudiosos de sua doutrina espiritualista, o que podemos fazer? Estudar os princípios da Doutrina Racionalista Cristã com denodo, e procurar dar a ela o impulso de que ela carece!

Colocando uma pedra no passado
by Cabo Verde é Vida

CONVITE

Casa-Chefe Rio de Janeiro
A todos aqueles que por algum motivo sofrem com as decepções e reveses da vida, ou aqueles que vivem num momento de bonança, aceitem nosso convite para se conhecerem e estudar os princípios filosóficos espiritualistas do Racionalismo Cristão!

Nós estudiosos da Filosofia Espiritualista Racionalista Cristã, fundada pelos humanistas, Senhores Luiz José de Mattos e Luiz Alves Thomaz, convidamos todos a assistirem as reuniões espiritualistas e conhecer os benefícios da corrente fluídica em uma de nossas Casas mais próximas, que acontecem às 2as, 4as, e 6as feiras, das 20,00 às 21,00 horas e as portas ficam abertas das 19,20 às 20,07 horas. A entrada é franca e todos são bem-vindos!

Visite nossa Filial Santa Maria
a entrada é franca e todos são bem-vindos!
.
Tanquinho Norte - Ilha do Sal - CABO VERDE

Conheça: Burgospedia - Comunidade Burgalesa

Poderá gostar de conhecer: